Entrevista sobre o Fundador do Opus Dei

HOME / Entrevista sobre o Fundador do Opus Dei

Entrevista sobre o Fundador do Opus Dei

86
R$ 55,00

R$ 32,95

QTD:
Comprar

Detalhes do produto

Diz-se frequentemente, dos grandes homens, que deixam de sê-lo para quem convive com eles no suceder comezinho das ninharias diárias. Mas o dito não se aplica aos santos: muito pelo contrário, só se é capaz de apreciar toda a sua grandeza humana e sobrenatural mediante a convivência íntima e prolongada. Este livro é um testemunho eloquente dessa verdade. Tendo vivido quarenta anos ao lado de São Josemaria Escrivá, como colaborador mais íntimo de todas as horas, o Bem-aventurado Álvaro del Portillo manifesta aqui a sua ilimitada admiração pelo Fundador do Opus Dei, a quem sucedeu na direção da Obra. São páginas comoventes pela fidelidade e pelo carinho filial que transparecem a todo momento, nas respostas serenas e simples, muitas vezes repletas de recordações divertidas, de detalhes cotidianos ou extraordinários, e sempre de uma experiência viva e vivida. Como afirma o jornalista Cesare Cavalleri, que realizou a entrevista, “a riqueza espiritual de mons. Escrivá é tão grande que talvez não se pudesse abrangê-la adequadamente nem mesmo num livro mais extenso. Penso que a mensagem do Fundador – uma espiritualidade encarnada – quase se manifesta melhor num conjunto de episódios, fatos concretos, experiências vividas, que numa exposição conceitual”. Daí que cobre especial vigor o que se relata nestas páginas, em especial se se tiver em conta que D. Álvaro del Portillo foi uma testemunha privilegiada da vida de São Josemaria Escrivá e da sua incansável e heroica dedicação ao bem da Igreja e de todas as almas. Estas páginas permitem também vislumbrar nas entrelinhas a personalidade do entrevistado, dotada de um profundo espírito sobrenatural e de um caráter heroicamente modelado no seguimento daquele a quem considerava, para si e para os que participam da Obra, o “conduto regulamentar” da imitação de Cristo. Tornam-se assim um documento vivo de relevante importância histórica e que convidam o leitor a tornar-se também “um elo dessa continuidade de espírito que, começando pela adesão cordial, desabrocha em vida e virtudes, na humildade, no sorriso e no agradecimento”.